Cinco revistas para quem curte o horror e o fantástico.

O mercado editorial oferece inúmeras opções para quem procura revistas dedicadas ao horror e ao fantástico. Algumas são mais ligadas ao cinema enquanto outras estão mais voltadas para o horror enquanto elemento transversal. No entanto, todas oferecem textos de um rigor inigualável, que vão muito além do mero “fanboy-ism” que muitos poderiam esperar.

1 – Fangoria

A “Fango” como é carinhosamente chamada pelos seus leitores é a maior de todas e a mais conhecida com uma circulação de mais de 200 mil exemplares. É norte-americana e foi publicada pela primeira vez em 1979. Nestes 32 anos, tem sido a revista que mais tem promovido o cinema de terror e é conhecida pelo enorme destaque  que dá ao cinema de terror europeu e asiático. A revista é publicada mensalmente com excepção dos meses de Julho e Dezembro. Pode ser encontrada em Portugal em apenas meia dúzia de livrarias especializadas. O último número dedica várias páginas ao cinema de terror britânico – mais propriamente sobre o catálogo da Amicus que, junto com a Hammer, produziu um conjunto de clássicos inesquecíveis. Mas esta revista também dedica um espaço substancial à cobertura das produções actuais com entrevistas a actores, realizadores e produtores, sem perder de vista o mercado dos DVDs, os livros e os videojogos. Algumas pessoas cresceram a ler os Cahiers du Cinema (duh!). Nós crescemos com a Fango e não a trocamos por nada. O preço em Portugal é absurdo. A assinatura é a melhor opção.

2 – Rue Morgue

A Rue Morgue é canadiana e pode ser encontrada em Portugal – às vezes. Não é tão grande quanto a Fango… mas é preciso admiti-lo: possui um design absolutamente lindo! Fortemente dedicada ao cinema, a RM procura ser um pouco mais ampla, dedicando um pouco mais de espaço aos livros, aos videojogos e a qualquer outra coisa relacionada ao género (o último exemplar até fala de teatro). No entanto, os vários artigos dedicados ao cinema e a cobertura que faz dos filmes mais recentes são sempre da mais alta qualidade. Nota-se que esta revista (tal como a Fango) é um trabalho de amor pelo género e cada exemplar traz sempre coisas que nunca vimos em lado algum (o que é fascinante). A última edição traz uma das melhores peças sobre cinema de terror japonês que lemos em muito tempo. O preço por cá também é um horror. Cá está mais um caso em que a assinatura é a melhor opção. É publicada mensalmente com excepção de Fevereiro.

3 – HorrorHound

A HorrorHound é uma revista mais recente (uma publicação bimensal) que infelizmente é difícil de encontrar em Portugal. Classifica-se como “The horror fan’s magazine” e é mais direccionada para o cinéfilo coberto de sangue que existe em cada um de nós. Isto significa que ao invés de dedicar-se aos filmes mais recentes, a HH prefere dedicar-se aos clássicos do género. Provavelmente esta opção economiza-lhes bastante dinheiro e permite que a revista exista sem os enormes investimentos que são necessários quando há uma vontade de estar a cobrir quatro ou cinco filmes a cada mês. No entanto, esta aparente falha é mais do que compensada com toneladas de cinefilia, geekness e nerdness. O último número da revista dedica várias páginas ao anno domini de 1981, um dos mais fecundos para o género (HALLOWEEN II, FRIDAY THE 13th PART 2, THE HOWLING, THE EVIL DEAD, AN AMERICAN WEREWOLF IN LONDON, SCANNERS, THE FUNHOUSE, OMEN III: THE FINAL CONFLICT, DEAD & BURIED, HAPPY BIRTHDAY TO ME, GHOST STORY, WOLFEN, HOUSE BY THE CEMETERY… e muitos outros). Também podemos encontrar um texto excelente sobre a Embassy – uma distribuidora de cinema de terror (e não só) que foi capital na História do home video. Outra pérola é uma visita à casa onde o filme HELLRAISER (1987) foi filmado. Priceless.

4 – Black Static

Ficámos a conhecer a Black Static por acaso, numa visita à Barnes & Noble. Esta é uma revista britânica (bimensal) dedicada ao conto de horror contemporâneo. Sim, a revista também fala de cinema. Mas fala pouco e somente lá para as últimas páginas. O forte aqui são os inúmeros contos escritos por autores de que (ainda) não ouvimos falar. Os textos são sempre bastante diferentes entre si e há sempre um que nos deixa fascinados. A edição de Dezembro/Janeiro trouxe um texto delicioso intitulado THE COMPARTMENTS OF HELL, escrito por Paul Meloy e Sarah Pinborough, sobre um grupo de… hmm… drogados que escapa ao Apocalipse. A edição mais recente traz um conto lindíssimo sobre uma prostituta que estabelece uma relação com a Lua. Chama-se THIS IS MARY’S MOON escrito por Steven Pirie. Os contos são sempre ilustrados por artistas diferentes – alguns deles são excelentes. Não sabemos se a Black Static pode ser encontrada em cá em Portugal. A assinatura é sempre a melhor opção.

5 – Filmfax Plus

A Filmfax Plus é outra revista norte-americana bimensal. Originariamente a publicação chamava-se apenas Filmfax (nome pelo qual é mais conhecida), tendo ganho o “Plus” em letras pequeninas depois que absorveu outra revista chamada Outré. A Filmfax é semelhante à HorrorHound na medida em que se dedica mais aos clássicos e à cinefilia do que aos filmes correntes. Porém ela cobre também a ficção científica, televisão e tudo aquilo que se possa classificar como retro. A última edição traz uma entrevista deliciosa com Mamie Van Doren. Esta é, aliás, uma daquelas revistas que põem a cinefilia à prova! Quem é que sabe quem foram os irmãos Lydecker? (Resposta: foram uma dupla de especialistas em efeitos especiais com miniaturas responsável por efeitos sensacionais para a Republic Pictures nos anos 40). Esta revista também pode ser encontrada em Portugal a um preço exorbitante. Vivam as assinaturas!

Todos nós sabemos que ano após ano, os média digitais ameaçam mais e mais os média impressos. Mas mesmo assim, estas revistas continuam a resistir. E sempre com enorme qualidade. Elas continuam a ser pontos de encontro obrigatórios para pessoas que como nós amam o cinema de terror.🙂 Elas são a prova da enorme fidelidade do público a este tipo de cinema tão especial.

BAD BEHAVIOR

Etiquetas: , , ,

2 Respostas to “Cinco revistas para quem curte o horror e o fantástico.”

  1. Marcelo Zambello Says:

    Infelizmente aqui no Brasil,só em grandes cidades como São Paulo que se encontra a Fangoria e o preço tambem é absurdo.Já a HorrorHound conheci atraves da internet,em 2010 pesquisando sobre revistas de filmes de terror. A HorrorHound não se encontra em nenhum lugar aqui no Brasil, e em nenhum site nacional. O único jeito de comprá-la é pelo Amazon dos Estados Unidos,porem com os impostos de importação daqui do Brasil a revista acaba ficando com o preço bem alto.

    • Bad Behavior Says:

      Olá, Marcelo.
      Aqui em Lisboa é mais fácil do que aí no Brasil.
      No entanto, a assinatura é sempre a melhor opção porque os preços praticados em Euros (ou aí em Reais) ficam sempre exorbitantes.
      Aqui, por exemplo, chegamos a poupar 50% daquilo que pagaríamos comprando numa livraria local.

      Boa leitura… e não perca o nosso próximo post sobre cinema de terror brasileiro.

      Abrç
      BB

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: